18 de jan de 2010

A EFT e a Ativação da Expansão de Consciência Para 2012

A EFT E A ATIVAÇÃO DA A EXPANSÃO DE CONSCIÊNCIA PARA 2012


O sistema solar gira em torno de Alcione, estrela central da constelação de Plêiades. Esta foi a conclusão os astrônomos Freidrich Wilhelm Bessel, Paul Otto Hesse, José Comas Solá e Edmund Halley, depois de estudos e cálculos minuciosos.
Nosso Sol é, portanto, a oitava estrela da constelação - localizada a aproximadamente 28 graus de Touro e leva 26 mil anos para completar uma órbita ao redor de Alcione, movimento terrestre também conhecido como Precessão dos Equinócios. A divisão desta órbita por doze resulta em 2.160, tempo de duração de cada era "astrológica" (Era de Peixes, de Aquário, etc).
Descobriu-se também que Alcione tem à sua volta um gigantesco anel, ou disco de radiação, em posição transversal ao plano das órbitas de seus sistemas (incluindo o nosso), que foi chamado de Cinturão de Fótons. Um fóton consiste na decomposição ou divisão do elétron, sendo a mais ínfima partícula de energia eletromagnética, algo que ainda se desconhece na Terra. Detectado pela primeira vez em 1961, através de satélites, a descoberta do cinturão de fótons marca o início de uma expansão de consciência além da terceira dimensão.
A ida do homem à Lua nos anos 60 simbolizou esta expansão, já que antes das viagens interplanetárias era impossível perceber o cinturão. A cada dez mil anos o Sistema Solar penetra por dois mil anos no anel de fótons, ficando mais próximo de Alcione. A última vez que a Terra passou por ele foi durante a "Era de Leão", há cerca de doze mil anos.
Na Era de Aquário, que está se iniciando, ficaremos outros dois mil anos dentro deste disco de radiação. Todas as moléculas e átomos de nosso planeta passam por uma transformação sob a influência dos fótons, precisando se readaptar a novos parâmetros.
A excitação molecular cria um tipo de luz constante, permanente, que não é quente, uma luz sem temperatura, que não produz sombra ou escuridão. Talvez por isso os hinduístas chamem de "Era da Luz" os tempos que estão por vir.
Desde 1972, o Sistema Solar vem entrando no cinturão de fótons e em 1998 a sua metade já estará dentro dele. A Terra começou a penetrá-lo em 1987 e está gradativamente avançando, até 2.012, quando vai estar totalmente imersa em sua luz.
De acordo com as cosmologias maia e asteca, 2.012 é o final de um ciclo de 104 mil anos, composto de quatro grandes ciclos maias e de quatro grandes eras astecas. Humbatz Men, autor de origem maia, fala em "Los Calendários" sobre a vindoura "Idade Luz". Bárbara Marciniak, autora de "Mensageiros do Amanhecer", da Ground e "Earth", da The Bear and Company e a astróloga Bárbara and Clow, que escreveu "A Agenda Pleiadiana", da editora Madras, receberam várias canalizações de seres pleiadianos.
Essas revelações falam sobre as transformações que estão ocorrendo em nosso planeta e nas preparações tanto física quanto psíquicas que precisamos nos submeter para realizarmos uma mudança dimensional.

15 de jan de 2010

REFLEXÕES DA NOVA ERA - AMOR ESPIRITUAL

Amor espiritual


"O amor espiritual é aquele que jamais causa tristeza. Em primeiro lugar é amor pela verdade. E quando há a experiência da verdade no eu, o amor se torna um fogo que destrói a negatividade.
No amor espiritual há individualidade mas não me torno individualista. É um amor doador que não busca retorno, assim como o sol não busca reconhecimento do seu brilho. Não cria dependencias, é real e puro. Quando consigo afastar-me do egoísmo e do apego, posso dar amor espiritual."
Ken O'Donnell

REFELXÕES DA NOVA ERA - PERDÃO

Perdão



"Perdão é mover-se pacificamente em direção ao que é bom e melhor.
Perdão derrete a dureza do coração dos outros.
 Em um primeiro momento, nosso perdão poderá confundí-los. As pessoas podem até nos considerar ingênuos. Mas com o tempo, elas acabam apreciando e valorizando este supremo ato de gentileza."
BK Anthony Strano

REFLEXÕES DA NOVA ERA - VIBRAÇÃO

Vibração



“Quando conversamos com alguém, 95% da conexão não é verbal. É a nossa vibração, expressão e linguagem corporal que falam. Quando investimos tempo em cuidar da mente e do coração, as pessoas que entram em contato conosco se beneficiam através do nosso estado de leveza e bem-estar. Elas captam a nossa vibração. Dedicar tempo para acalmar a mente é um excelente investimento pessoal que produz extraordinária influência positiva em nossos relacionamentos.”
Charlie Hogg

REFLEXÕES DA NOVA ERA - CONTENTAMENTO

Contentamento



“Durante o dia procure verificar qual a percentagem de contentamento que há em você e nas pessoas com quem você se relaciona. O sinal do contentamento é ser leve e feliz em sua mente. Como resultado, os outros também permanecerão felizes. Limpeza e honestidade nos relacionamentos produzem contentamento. Por isso é dito que onde há verdade a alma dança. Limpeza significa pureza da mente, palavras, ações, relacionamentos e conexões. O Supremo fica satisfeito com uma mente e um coração limpos.”

REFLEXÕES DA NOVA ERA - O PORCO ESPINHO

A Fábula do Porco Espinho



Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.
Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor.
Por isso decidiram se afastar uns dos outros e começaram de novo a morrer congelados.
Então precisaram fazer uma escolha: ou desapareciam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.
Sem alternativa, decidiram voltar a ficar juntos.
Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.
E assim sobreviveram.

Moral da História
O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com a individualidade do outro, e a aquecer-se nas coisas que têm em comum

7 de jan de 2010

OS 4 PERDÕES - Hoponopono

OS 4 PERDÕES
Mônica Camacho


Relembrando também o que disse o grande Jung: “Nada pode relacionar-se com outro enquanto não se relacionar primeiro consigo mesmo”.

Existem quatro perdões com os quais necessitamos trabalhar para curar nossa vida íntima. Desde há anos muito se fala basicamente de dois. Quero enunciar os quatro. Mas, antes desejo esclarecer que o perdão não é um ato: é um processo. Ou seja, não é possível perdoar desde a vontade; desde a vontade o que se pode eleger é cultivar esse processo, sabendo que se não o fizermos, uma parte de nossa vida permanecerá infectada, inflamada e, cada vez que algo a toque, doerá.
Não podemos, então, decidir “Te perdôo”. Mas, podemos decidir colaborar conscientemente com esse processo. Este trabalho psicológico, sem dúvida, é somente uma parte. A outra é que, à medida que sustentamos no tempo a intenção de cultivar o perdão, algo nuclear de nosso Inconsciente (nossa Essência, nosso Si Mesmo), por sua vez, trabalha subterraneamente para que o perdão aconteça.
Sim, a medula do perdão provém de uma instância interna superior.
Por isso, se chama perdão: é um dom que vem desde algo muito profundo (em inglês, “forgive”, sendo que “to give” não somente é dar, como também consagrar, ou seja, “con – sagrar”)* *( quando consagramos algo, como na bíblia encontramos Jesus que consagrou (converteu) o pão e vinho no corpo e sangue de Cristo; isto é, trabalhamos em algo de nós para que se converta em alguma outra coisa para nós(grifo meu)).
De maneira análoga, decidir perdoar implica em dispor-se a fazer, humanamente, nossa parte neste processo e, também, a pedir a esta instância interna (como em uma oração) que tenha um bom desprender-se disso que é mais sutil, e que nosso psiquismo limitado, não pode executar. Assim, quando o perdão advém e sentirmos a ferida limpa, é porque muito dentro tem convergido o nosso trabalho psicológico intencional e o trabalho de nosso Si Mesmo (sem o qual o perdão não acontece).