29 de ago de 2010

Eliminando Crenças que te adoecem com a EFT



VOCÊ PODE SE CURAR
Em primeiro lugar vamos entender alguns pontos que farão com que meditemos. Vamos entender melhor sobre o emocional, psicossomático, mental e metafísico.





PORQUE FICAMOS DOENTES?

A cada dia que passa nós vamos descobrindo mais sobre o funcionamento da natureza. Desta vez é nosso corpo e a tentativa de responder a perguntas intrigantes, como:

Porque ficamos doentes? Ou mesmo: Porque um câncer se instala em nossa perna e não em nosso braço? Ou ainda: Porque uma forma de doença e não outra? Ou Porque agora em minha vida, quando tudo parecia bem?
Ao longo da trajetória das ciências médicas, muito pouco se tem conseguido. A Psicossomática ainda parece engatinhar. Mesmo a medicina paralela, não convencional e alternativa, parece ter muitos problemas para entender ou explicar estas questões.

VOCÊ É A CAUSA DE TUDO

A grande maioria das pessoas atribui à sorte, ao azar, ao acaso ou a um poder superior a causa e o comando de tudo que lhes acontece na vida. Com isso, jamais procuram verificar a verdade sobre os fatos. Elas preferem optar por uma atitude conformista ou comodista, alimentando uma postura interna de vítimas que as faz sentirem-se “coitada”. Ficam hipnotizadas pela idéia de impotência diante de certos acontecimentos que consideram difíceis e sobre os quais não querem ter nenhum controle ou responsabilidade.

É comum, nas situações dolorosas que afetam a elas mesmas ou os outros, as pessoas se acovardem, em vez de resistirem com coragem e determinação. Quando não compreendem a causa de certos acontecimentos catastróficos, alguns justificam seu comodismo com frases como: “Deus ou o destino quis assim” ou “Não aconteceu porque não era para ser”. Outros preferem se revoltar a procurar desvendar a verdadeira realidade dos fatos.

Reagir com comodismo ou revolta é preservar uma atitude de vítima. O “vitimismo” é sem dúvida o maior empecilho ao progresso da humanidade. Será que você também pensa assim?
Acredita que sorte, azar, acidentes, dramas, alegrias, enfim, as coisas que acontecem em sua vida são independentes de sua vontade? Considera que o acaso provoca as situações ruins?

Imagina que existe algo movimentando sua vida e que você mesmo não tem participação alguma? Pensa que seus problemas são causados pela inveja dos outros ou pelo destino e não por sua condição interna?

Pensar dessa maneira causa-lhe complicações e sofrimentos que reprimem a expressão de vida. Aquele que se julga vítima acredita que está no mundo para sofrer, aquele que pensa assim, teria de concordar que está deixando a direção de sua vida nas mãos de outros, ou que nos mínimo está sendo omisso e displicente. Alimentar pensamentos dessa ordem não lhe permitirá usar seu poder de transformar os acontecimentos desagradáveis e edificar uma vida melhor.

De modo geral, o ser humano crê na fatalidade, no acaso e na negligência. Quando “acidentes” acontecem, as pessoas imediatamente definem as situações, sem dar a chance de perceber se há uma outra forma de encarar os fatos.

Explicar algo classificado como fatalidade não é uma tarefa fácil. Compreender o que está por trás de um acontecimento ruim exige certa predisposição a acatar o novo e abandonar os conceitos impregnados na humanidade. Um acidente parece sempre algo inexplicável, e o acaso um mistério agindo aleatoriamente.

Pensar desse modo é o mesmo que considerar que o NADA pode fazer tudo, como realizar feitos extraordinários, provocar acidentes, promover sua demissão do emprego, fundir o motor de seu carro, causar uma infestação de cupins em sua casa e uma série de outros males que o rodeiam. Olhar a vida por essa óptica é acreditar que somos vítimas dos mecanismos naturais. A idéia de sermos vítimas das fatalidades não é a melhor concepção de vida.

É inaceitável crer que um ser superior governe tudo como um tirano ou mesmo que é o acaso que provoca todos os contratemos na vidas das pessoas. Assim também não se pode acreditar que a natureza é desordenada a ponto de cometer alguns lapsos em seus intrincados mecanismos de funcionamento. A natureza é sábia, portanto para toda ação há sempre uma causa, mesmo quando nossa inteligência não consegue alcançar o acontecimento do processos da vida.

Quem segue sua intuição e busca uma outra explicação dos acontecimento, rompendo com a concepção do acaso e da injustiça, acaba encontrando as respostas para as ocorrências desagradáveis. Experimente desafiar a idéia de fatalidade e busque a consciência das verdadeiras causas. Não acredite cegamente no que lhe foi passado. Procure obter um vivência prática, observe as sensações de seu corpo, dê vazão à intuição. Esse procedimento possibilita desvendar a realidade dos acontecimentos.

O “vitimismo” é uma forma infantil de lidar com os fatos. De que modo então poderemos compreender os acidentes e as situações problemáticas ou maravilhosas, se não cremos mais no acaso, se não responsabilizamos os outros, tampouco as atribuímos à vontade divina ou aos imperativos da vida? Qual a explicação plausível para o que acontece de bom ou prejudicial em nossa vida? A resposta é: VOCÊ CAUSA TUDO! É O CENTRO DE SUA VIDA E SENHOR (A) DE SEU PRÓPRIO DESTINO. “A mente tem diferentes níveis, mas não tem limites”.

Se você é a causa de tudo, que tal fazer um futuro diferente. Começe mudando seus comportamentos eliminando suas crenças com a EFT:

Complexo de vitima, Falta de Auto-responsabilidade, Comodismo, Conformismo, Falta de maturidade, entre outras que prejudicam a suas vidas e reforçam os padrões infantis da inconsciência afastando cada vez mais as pessoas de uma vida de Paz e Felicidade.

Faça consultas ON-LINE com um Especialista em Alinhamento Vibracional e EFT para te auxiliar a eliminar essas ou outras crenças, mande e-mail para: simoneshiatsu@hotmail.com

18 de ago de 2010

Recuperando sua Autoestima com o Alinhamento Vibracional

Auto-estima e Auto-imagem




Desequilíbrios e transtornos na auto-imagem levam ao excesso ou à falta de confiança em si mesmo, e ambos são prejudiciais ao desenvolvimento e construção de uma vida mais feliz.

Nós temos a capacidade de desenvolver características que muitas vezes não sonhamos adquirir. O cérebro é dinâmico, e sendo assim, podemos, através de uma atitude consciente, moldá-lo como a argila. O cérebro se acostuma a funcionar de determinada forma, e enquanto não o dominamos conscientemente, ele é moldado e dominado por nossos processos inconscientes.

Quando existe baixa auto-estima, o indivíduo não acredita suficientemente em seu poder de mudança.

Com auto-estima adequada fica mais fácil aceitar nossos pensamentos, sentimentos e valores pessoais. O senso comum nos diz que para ser amado é preciso também amar a si mesmo.

Quando somos dotados de uma boa dose de auto-estima, somos mais ousados, mais corajosos, temos uma vontade de crescimento bem dosada, conhecemos nossos limites e sabemos respeitá-los.

Porém, quando nossa autoconfiança é abalada por uma má formação de nossa auto-imagem, temos muito medo de dar passos à frente.

Então podemos nos destruir através da construção e manutenção de uma auto-imagem negativa, em que não nos damos nenhuma chance de crescimento, exigimos muito pouco da vida e de nós mesmos, na certeza de que não merecemos a felicidade.

Um certo grau de auto confiança é necessário para se chegar a lugares com os quais sonhamos, para atingirmos objetivos estabelecidos para nossa transformação. Muitas vezes essa confiança poderá parecer arrogância, mas no fundo não é. É somente uma alta dose de coragem, necessária àqueles que são líderes, pioneiros, conquistadores.

Porém, é de extrema importância construir um sentimento básico de autoconfiança.

5 de ago de 2010

A Aceitação do Poder do Agora


A Impermanência e os Ciclos da Vida

Eckhart Tolle


Existem ciclos de sucesso, como quando as coisas acontecem e dão certo, e os ciclos de fracasso, quando elas não vão bem e se desintegram. Você tem de permitir que elas terminem, dando espaço para que coisas novas aconteçam ou se transformem.

Se nos apegamos às situações oferecemos uma resistência nesse estágio, significa que estamos nos recusando a acompanhar o fluxo da vida e que vamos sofrer. É necessário que as coisas acabem, para que coisas novas aconteçam. Um ciclo não pode existir sem o outro.

O ciclo descendente é absolutamente essencial para uma realização espiritual. Você tem de ter falhado  completamente de algum modo, ou passado por alguma perda profunda, ou por algum sofrimento, para ser conduzido à dimensão espiritual. Ou talvez o seu sucesso tenha se tornado vazio e sem sentido e se trasformado em fracasso.

O fracasso está sempre embutido no sucesso, assim como o sucesso está sempre encoberto pelo fracasso. No mundo da forma, todas as pessoas “fracassam” mais cedo ou mais tarde, e toda conquista acaba em derrota. Todas as formas são impermanentes....
Um ciclo pode durar de algumas horas a alguns anos, e dentro dele pode haver ciclos longos ou curtos. Muitas doenças são provocadas pela luta contra os ciclos de baixa energia, que são fundamentais para uma
renovação. Enquanto estivermos identificados com a mente, não podemos evitar a compulsão de fazer e a tendência para extrair o nosso valor pessoal de fatores externos, tais como as conquistas que alcançamos.

Isso torna difícil ou impossível para nós aceitarmos os ciclos de baixa e permitirmos que eles aconteçam. Assim, a inteligência do organismo pode assumir o controle, como uma medida autoprotetora, e criar uma doença com o objetivo de nos forçar a parar, de modo a permitir que uma necessária renovação possa acontecer.

Enquanto a mente julgar uma circunstância “ boa”, seja um relacionamento, uma propriedade, um papel social, um lugar ou o nosso corpo físico, ela se apega e se identifica com ela. Isso faz você se sentir bem em relação a si mesmo e pode se tornar parte de quem você é ou pensa que é.

Mas nada dura muito nessa dimensão, onde as traças e a ferrugem devoram tudo. Tudo acaba ou se transforma: a mesma condição que era boa no passado, de repente, se torna ruim. A mesma condição que fez você feliz agora faz você infeliz. A prosperidade de hoje se torna o consumismo vazio de amanhã. O casamento feliz e a lua-de-mel se transformam no divórcio infeliz ou em uma convivência infeliz.

A mente não consegue aceitar quando uma situação à qual ela tenha se apegado muda ou desaparece. Ela vai resistir à mudança. É quase como se um membro estivesse sendo arrancado do seu corpo.

Isso significa que a felicidade e a infelicidade são, na verdade, uma coisa só. Somente a ilusão do tempo as separa.

Não oferecer resistência à vida é estar em estado de graça, de descanso e de luz. Nesse estado, nada depende de as coisas serem boas ou ruins....Observe as plantas e os animais, aprenda com eles a aceitar aquilo que é e a se entregar ao Agora.

Deixe que eles lhe ensinem o que é Ser.

Deixe que eles lhe ensinem o que é integridade – estar em unidade, ser você mesmo, ser verdadeiro.

Aprenda como viver e como morrer, e como não fazer do viver e do morrer um problema.