17 de out de 2009

EFT - A CAUSA DAS DOENÇAS ESTÁ NAS EMOÇÕES NEGATIVAS


:: Por Graziella Marraccini ::


Recentemente vim conhecer uma técnica chamada de EFT - Emotional Freedom Technique, em português Técnica de Libertação Emocional (TLE), graças a um terapeuta do Rio de Janeiro que, malgrado nosso contato recente, já parece fazer parte da minha vida desde sempre, tamanha é a sintonia e confiabilidade que se estabeleceu entre nós. A ele agradeço a generosidade, o carinho e o dom que ele me ofereceu. Com isso quero dizer que essa maravilhosa técnica está me ajudando a superar alguns problemas de saúde que vinha sofrendo e desejo compartilhar com vocês esta experiência. Apliquei primeiramente a técnica para eliminar uma rino-sinusite da qual sofro há anos (desde bem pequenina, aliás, já que tenho o planeta Mercúrio no meu ASC).
Para eliminar a causa deste mal, eu parti da idéia de que nada adiantariam tantos remédios se eu não compreendesse primeiramente a origem da doença. Por essa razão, e por minha natural curiosidade mercurial, me aprofundei no estudo da relação psicossomática das doenças, baseando-me nos ensinamentos da Astromedicina tradicional e mais recentemente no livro 'Diga-me onde dói e te direi por quê" de Michel Odoul, do qual tive conhecimento através de uma amiga osteopata (Terapia Crânio-Sacral). Apesar dos ensinamentos da astromedicina já terem me encaminhado para este raciocínio holístico há muito tempo, as terapias aplicadas não surtiam um efeito duradouro.
Em seu livro, Odoul (fundador do Instituto Francês de Shiatsu) explica muito claramente que as doenças respiratórias são causadas por tensões nos relacionamentos 'com as pessoas de nosso convívio', pessoas com as quais temos dificuldades de 'dividir o ar' que respiramos. Outros autores também relacionam assim esta patologia tipicamente mercurial, como a a psicóloga americana Louise L. Hay. Portanto, concluí que alguém estaria me irritando profundamente em minha própria casa (poderia ser no ambiente de trabalho também, porém eu trabalho em casa!) Identificado o problema baseado no convívio difícil, comecei a perceber que essa psicossomatização se localizava principalmente no lado direito da minha testa, portanto, segundo Odoul, o problema estaria relacionado com o meu lado do 'feminino' ou seja, com a dificuldade nos relacionamentos com mãe/irmã.
As emoções negativas causadas pelo relacionamento pouco afetivo dessas pessoas de minha vida, com cuja natureza mais rígida e inflexível, eu tinha -e tenho- dificuldade de conviver, poderiam ser a causa principal de minha dificuldade respiratória. Deste modo, conclui que as dificuldades deste convívio, apesar do carinho existente entre nós, se revelava através da irritação que meu sistema respiratório teimava em me mostrar em crises semanais e muito persistentes e muito dolorosas. Eu poderia também procurar causas externas, o fumo, a poluição do ar, o ar condicionado do carro, do restaurante, etc. porém me foquei principalmente nesta explicação psicossomática já que é muito difícil evitar ou eliminar as causas externas. E, após alguns dias de aplicação persistente da EFT consegui me libertar! Aleluia! Respiro aliviada.

Entrevista sobre Estresse - Mestre Budista Tokuda


12 de out de 2009

PESQUISA CONFIRMA EFICÁCIA DA EFT



O resultado do primeiro experimento clinico de psicologia energética (EFT) em larga escala foi publicado na revista Energy Psychology Interactive. O que segue é um resumo desse estudo. Você pode ler a versão completa no:


http://www.emofree.com/Research/andradepaper.htm

Aproximadamente 5.000 pacientes diagnosticados como tendo distúrbios de ansiedade foram randomicamente designados para um grupo experimental (EFT) ou para um grupo de controle (Terapia Cognitiva-Comportamental com medicação, que é a escolha terapêutica tradicional). Aqui estão os resultados:

Comparação de resultados com 5.000 pacientes com ansiedade, ao final da terapia

Alguma melhoria: TCC/medicação: 63% EFT:90%

Alívio complete dos sintomas: TCC/medicação : 51% EFT:76%

Número médio de sessãoes: TCC/medicação 15% EFT:3%

No acompanhamento feito durante um ano, os pacientes tratados com EFT estavam menos propensos a recaídas ou recaídas parciais do que aqueles tratados com TCC/medicação, restultados atestados por avaliadores independentes e corroborados por imagens cerebrais e perfis de neurotransmissores.